Marcha Dos Aflitos

Marcha Dos Aflitos

Os favelados dos descasos dos palácios
Ergueram cantos de famintas esperanças
E o batalhão marchara de pés descalços
Pedindo a queda do cabresto e da ganância.


Pois a bandeira da miséria desfraldada
Tremula colorida de remendos
Clamando terra pras insônias enxadas
Mostrando aos fortes que o amor venceu o medo.


Então as gaitas e os violões pelas esquinas
Ecoarão fazendo ouvir-se a voz do povo
Mostrando ao mundo que na América Latina
Se descortina pouco a pouco um tempo novo.


As aldeias exiladas sobre as pontes
Se unirão aos horizontes das marquises
Encorporando aos aflitos e os errantes
Num batalhão esfarrapados de infelizes.


Mas a vaidade dos anéis, estrela e lua
E a indiferença do poder em loucas mãos
Serão vencidos pela fome nua e crua
Para que enfim a liberdade seja pão.

COMENTÁRIOS