A Don Ávila E Seu Tobiano

A Don Ávila E Seu Tobiano

Vem neste tranco que é marcha
Pra flor do batismo que à tarde se atora
Chega ao saleiro que a vida
Lhe traz com a bebida a saudade que adora


Um cerne puro de campo
Que assoma ao tranco na hora clavada
Sabia o tubiano que a cincha
Se afroxa ao palanque na frente da aguada


Buenas noches... me serve um liso!
Buenas noches... rincão, paraíso!
Entre dois goles de canha
Ilumina a campanha ao sabor da distância


De pronto já tenho fiador
Quem cruzou corredor
Dando espaldas à estância


Que magia terá esta copa
Quando a alma se topa escorado ao balcão
Será um vício maior que a bebida
Dar sentido pra vida num sem-fim de rincão
São três lisos e uma hora de assunto
Pra saber de um defunto algum vivo de más
Atacaram a eguada que vinha
Cruzando na linha de volta pra trás


De pronto já tenho fiador
Quem cruzou corredor
Dando espaldas à estância


Pedro Escobar, bolichero
Estende o bacheiro e o tobiano relincha
Mais uma noite estrelada
E na frente da aguada se apertam as cincha


Buenas noches... me serve um liso!
Buenas noches... rincão, paraíso!
Entre dois goles de canha
Ilumina a campanha ao sabor da distância

COMENTÁRIOS