Alvorotada

Alvorotada

Alvorotada costeia a cerca que a primavera acordou as
flores
Nem sabe donde partiu a gana de enlouquecida buscar
amores
Alvorotada perde a tenência não tem querência nem tem
rodeio
Se vem solita sem rumo certo força da vida não tem
costeio


Talvez à noite berrando fundo pelo sereno e a brisa
mansa
Sigam no rastro do teu perfume e este romance desate a
trança
Pelas canhadas nas primaveras quantas perdidas
buscando aguadas
Seguem solitas costeando cerca deixando rastro
alvorotadas?


Lembras que ao cio Deus supremo deu como benção seguir
as flores
No ciclo eterno das primaveras mesclar perfumes
buscando amores
Alvorotada perde a tenência não tem querência nem tem
rodeio
Se vem solita sem rumo certo força da vida não tem
costeio

COMENTÁRIOS