Anguriada

Anguriada

Rancho de leiva, cola de pato
cozinha ao lado e um galpão
Florece doce, na ressolana
a canjerana .... com a solidão


Um vento velho, que vem de longe,
traz "Oh de casa" a cada manhã
Sentam as garças, sobre as covancas,
são flores brancas..... do Tarumã


Mirada 'al pedo', num redemoinho,
traz pala ao vento..... no corredor
Cheira a saudade com aflorada,
arrinconada .... cheia de amor


Mate solito, pitada funda,
suspiro vago ...... por um torçal
Florzinha guacha, triste e bonita,
que vive aflita .... num banhadal


Passa anguriada, na primavera
ascende nela o seu odor
A flor chirua, morta de sede,
que nunca teve ..... seu beija-flor

COMENTÁRIOS