Boca
Na fachada a cara alegre
Um sorriso e boas noites
A quem busca um trago largo
A quem busca um trago largo
Bem longe de um mate amargo da vida cura os açoites

Assim a voz do carinho
À meia luz junto à copa
Adoça o que está adoçado
Adoça o que está adoçado
Do gosto à cor do pecado
Na madrugada se topa

A imagem antiga da casa
Num tango pra ser cortado
Nenhuma nega o estribo
Somente afirma o motivo
Nenhuma nega o estribo
Somente afirma o motivo
Num romance preparado

A noite em sereno chora
E um coração prometido
Se ilude ao som da magia
Se ilude ao som da magia
Do claro está longe o dia
Pra ver um peito partido

To competí mais um trago
Outro beijo molha a boca
O preço certo nem sabe
O preço certo nem sabe
E o corte afiado de um sabre
Que atora a saudade louca

O olhar que pousa no corpo
Tem a lembrança que importa
O fogo consome a sede por entre quatro paredes
O fogo consome a sede por entre quatro paredes
Quando se fecha uma porta
Quando se fecha uma porta
Quando se fecha uma porta
COMENTÁRIOS