Minha Querencia (int. Leopoldo Rassier)

Minha Querencia (int. Leopoldo Rassier)
QUERENCIA

De Manhã cedinho Muito QUANDO o sol devagarinho VEM rasgando um Escuridao Ouço A Voz da peonada não galpão arrinconada los roda de chimarrão Da cacimba VEM Chegando a velha pipa e derramando gotas d'água Pelo Chão Vacas mansas na Mangueira e ciscando mui Faceira não um terreiro Criação (Meu Rio Grande do Sul Meu lindo pago, Meu Chão Minha Querência eu te trago nd forma do Coração) Gineteando um Cavalhada Cruza o campo a gauchada pra o rodeio ea Marcação E o quero-quero alvissareiro Que lhes Avista Primeiro Grita SUA saudação QUANDO eu Vejo um Minha serra ea Beleza desestabilização terra nn MEUS Olhos o debuxo Prezo um deus nd Minha crença POR ESTA aventura imensa de ter nascido gaúcho
COMENTÁRIOS