E Aí - Não dá o Braço a Torcer

E Aí - Não dá o Braço a Torcer
Eu sempre deixo a porta encostada
Pensando que você vai voltar
Eu venho pela rua a fora
Sonhando em chegar em casa e te reencontrar

Eu entro e vejo a cama vazia
Vai pelo ralo a minha ilusão
No edredom ainda sinto o seu cheiro
Nos meus lábios eu sinto o gosto do seu batom

Sei que sente saudade
Mas sua vaidade é maior que você
Várias vezes me disse que não pede desculpas
Não dá o braço a torcer

Eu só vim te lembrar que esse mal estar
Foi você quem criou
E pedir para parar de se auto castigar fugindo desse amor

Sou tão dependente de você
Você também é, mas não quer falar
Combinamos como o sol e o mar
Como a estrela e o luar
Um sem o outro não dá pra ficar

COMENTÁRIOS