BIOGRAFIA The Beatles

John Lenonn nasceu na Inglaterra, mas fez sucesso no mundo inteiro com a banda The Beatles que ele criou em 1960. John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr transformaram a forma de fazer música, principalmente rock’n rol. Eles lançaram dezenas de discos e seus fãs eram chamados de beatlemaníacos por seguirem o quarteto por onde eles iam. Depois de quase 10 anos e diante de muitos desentendimentos a banda se desfez e Lennon seguiu carreira solo ao lado de sua esposa Yoko Ono. Mas uma tragédia interrompeu essa trajetória de sucesso. Lennon foi assassinado em frente ao seu apartamento. Conheça em detalhes a vida desse astro da música.

A dura infância

John Winston Lennon nasceu em 9 de outubro de 1940, em Liverpool, na Inglaterra, e seu nome foi uma homenagem a Winston Churchill, primeiro-ministro britânico durante a guerra. Seu pai trabalhava num navio e abandonou a família quando John era bem pequeno. Sua mãe Julia arrumou um namorado e foi morar com ele, mas o cara não aceitava criar filho de outro e Julia o deixou com sua tia Mimi e o tio George, por quem John era apaixonado. Aos seis anos, John já cantava no coro da igreja. Ele foi criado com muito amor e ternura, mas sua revolta era muito presente, principalmente na escola.


Muito fofo o pequeno John

Em 1952, o tio George morre e John volta a se aproximar da mãe, no entanto da mesma forma que o amor renasce, ele termina. Em 15 de julho de 1958, Julia morreu atropelada por um policial bêbado.


Lennon com a sua mãe Julia

Mas apesar de serem humildes, na Inglaterra há muitas escolas de arte e John chegou a pensar em ser pintor.


Esse é Lennon adolescente

Lennon e sua carreira musical precoce

Com apenas 15 anos, em 1955, John monta uma banda chamada "The Quarry Men" e algum tempo depois ele conhece Paul McCartney e a identificação é imediata. John então funda os Beatles em 1960, que além dele e de Paul tinha George Harrison e Ringo Starr, todos de Liverpool. O empresário do grupo, Brian Epstein foi quem descobriu os rapazes, vendo-os tocar num pub.


Uma das maiores bandas de rock de todos os tempos estava formada

Bom, a dupla formada por Lennon e McCartney era perfeita para escrever canções e eles estouram mundialmente nos anos de 1960. Os clássicos como "Strawberry Fields Forever", "Come Together", "I Want To Hold Your Hand" e "In My Life" são da "dupla".

Relembre “In My Life”.



E os Beatles lançaram 22 compactos e 13 LP's oficiais. As vendas de todos eles eram um escândalo e os fãs de todas as idades os cercavam por onde eles passavam.




Essas são as capas bem famosas da banda

O sonho acabou

A crise da banda começa no final dos anos de 1960. Eles não estão mais satisfeitos com o desempenho no palco, não querem mais se apresentar ao vivo nem fazer turnê e também estão cansados do fanatismo dos fãs. Tudo piora ainda mais quando em 1967, o empresário Brian Epstein é encontrado morto por overdose de drogas e a venda do disco "Magical Mystery Tour" (1967) é um fracasso.

O caos toma conta da banda e eles começam a perder total o controle e brigar entre si. McCartney chega a humilhar um produtor e outro funcionário insatisfeito com a maneira com que as coisas estão andando pede demissão. Isso tudo durante a gravação de "The Beatles (Álbum Branco)", em 1968.

Para piorar, a presença de Yoko Ono, que se torna "o quinto Beatle" incomoda o grupo, pois ela se mete em tudo e quer falar por Lennon. Como John tinha criado a banda, ele achava que realmente tinha o direito de mandar. O LP "Abbey Road" (1969) é gravado em meio a essa turbulência.


Lennon queria que Yoko fosse uma das colaboradoras da banda

"Let it Be", de 1970 é o último álbum da banda e Paul determina oficialmente o fim dos Beatles.


E essa é a capa do último disco dos Beatles

O quinto elemento

Nesse caso é a quinta! Estou falando da própria Yoko Ono. Mesmo contrariando a vontade dos outros integrantes, Lennon levava Yoko para os ensaios e eles ficam de segredinhos o tempo inteiro. Ele queria que ela fosse uma colaboradora da banda. Muitos falam que Lennon era totalmente submisso à mulher e que ela foi o verdadeiro motivo do fim da banda.

Yoko Ono tinha 32 anos quando conheceu Lennon. No entanto, nem sempre foi tudo às mil maravilhas. A traição e as drogas fizeram John ser mandado embora de casa. Sofrendo muito, ele aumentou ainda mais o cosumo de drogas e de bebidas. Mas Yoko o perdoou e ele voltou para a casa, em Nova Iorque.

O primeiro casamento do astro
Em 1962, John Lennon se casou com Cynthia Powell e eles ficaram juntos por sete anos. Mas John não se sentia feliz nessa relação, pois ela o amava muito, mas ele não correspondia a esse sentimento. Diante dessa situação, ele passou a tomar LSD diariamente. No entanto, depois de uma viagem para a Índia com o objetivo de meditar, ele se separou de Cynthia, com quem teve o filho Julian.


A primeira família de Lennon: Ele, Cynthia e Julian

Logo em seguida, ele engata um romance com Yoko. Há quem conte a história de que Yoko era uma mulher ambiciosa que perseguia John. Ela já tinha uma filha, a Kyoko.

Lennon em ação

Briguento, ousado e nervosinho, Lennon chegou a declarar que os Beatles eram mais famosos que Jesus Cristo e diante disso muita gente queimou os discos da banda e algumas rádios deixaram de tocar suas músicas. Mas esse "boicote" durou pouco tempo e o quarteto Lennon, McCartney, Ringo e Harrison voltaram a reinar

Cantor segue carreira solo

Com o fim dos Beatles em 1970, John investe em sua carreira solo com a participação de Yoko, é claro. Ele lança os discos "Plastic Ono Band" (1970), "Imagine" (1971), "Mind Games" (1973), "Walls and Bridges" (1974), "Rock 'N' Roll" e "Shaved Fish" (1975). Dessa época, estão as músicas "Give Peace", "Chance" e a mundialmente conhecida "Imagine".

Que tal escutar “Imagine”, música que foi regravada por vários artistas para uma campanha da UNICEF.



A carreira solo durou até 1975, quando o músico resolveu parar para cuidar da sua família.


Lennon com Yoko e o filho Sean

Cinco anos depois, ele lançou seu [b]último disco "Double Fantasies"[b], que falava desse momento ao lado da mulher Yoko e do filho Sean. Mas infelizmente ele conviveu muito pouco com o seu filho, pois foi assassinado.


Essa é a capa do último álbum do cantor

Mas sua música é imortal e em 1982 ganhou postumamente o Grammy por "Double Fantasy". Depois que ele morreu, foram lançados "Milk and Honey" (1984), "Live in New York City" (1986, gravado em 1972), "Rock 'N'Roll and Walls and Bridges"(1986), "Acoustic" (2004).

Beatles na telona

E o quarteto estrelar também fez sucesso fora dos palcos. Eles filmaram: "A Hard Day's Night" (1964), "Help!" (1965), "Magical Mystery Tour" (1967), "Yellow Submarine" (desenho animado, 1968) e "Let it Be" (1970).


John Lennon em Yellow Submarine

Fim trágico

No dia 8 de dezembro de 1980, John Lennon foi assassinado a tiros pelo fã Mark Chapman, em Nova York (EUA), em frente ao prédio onde morava com a esposa Yoko Ono e o filho Sean, em Nova York (EUA). O assassino deu cinco tiros a queima roupa no cantor. Seu primeiro filho Julian tinha 17 anos na época, a mesma idade que John tinha quando sua mãe. Chapman foi preso na hora, mas confessou o crime quase um ano depois. Ele está na cadeia até hoje.

Veja aqui a notícia de sua morte



John ativista

Logo que se mudou para Nova York (EUA), John se tornou muito mais defensor da paz. Ele queria participar dos movimentos sociais e lutar contra a Guerra do Vietnã, por exemplo. Também apoiou o ativista radical John Sinclair, que estava preso e condenado a dez anos pela pose de dois cigarros de maconha. Lennon cantou "Let Him Be, Set Him Free" e Sinclair foi solto. Ele defendeu o grupo feminista “As Panteras”. Os americanos até tentaram deportá-lo, mas ele conseguiu o visto de permanência. Ele chegou a ser investigado pelo FBI.


Lennon em seu momento total ativista

Para guardar na memória

Em 2000, a mulher do Beatle, Yoko Ono, inaugurou o Museu de John Lennon, em Tókio, no Japão. Nele estão 130 objetos de Lennon, como instrumentos, roupas e imagens[b]. No entanto, o contrato venceu o [b]museu fechou as portas. Ele recebeu diversas vezes a visita de Yoko Ono e de mais de 550 mil pessoas. O prédio também foi cenário de vários casamentos por considerá-lo um símbolo do amor devido a história de Lennon e Yoko.

Sua história em formato de livro

E o astro ganhou várias biografias. Sua primeira mulher Cynthia Powell publicou em 2005 um livro sobre o cantor. Ela fez várias revelações polêmicas, como a de que Lennon era violento por causa de seu ciúmes doentio. Ela diz que ele chegou a agredi-la.
Outras biografias sobre a vida do cantor também foram lançadas, mas ao que tudo indica a “John Lennon - A Vida”, de Philip Norman é a mais completa, pois ele teve acesso a documentos inéditos e diversos testemunhos, como Yoko Ono, de seu filho Sean Lennon e Paul McCartney, um de seus grandes amigos. Vale a leitura


A capa do livro Joh Lennon – A Vida